Notícia SINASEFE IFSul

10 de setembro 2019

Angela Davis vem ao Brasil para ciclo sobre colapso da democracia

Angela Davis vem ao Brasil para ciclo sobre colapso da democracia Aos 75 anos, a professora e filósofa norte-americana Angela Davis é uma das referências em dedicação às causas dos direitos civis em seu país e no mundo. E será ela uma das conferencista do seminário internacional Democracia em Colapso?, marcado para o mês de outubro em São Paulo. O evento é realizado pelo Sesc – em sua unidade de Pinheiros – e pela Editora Boitempo. Além de Angela Davis, a programação do seminário traz mais de 40 nomes de destaque no pensamento humanitário.A conjuntura política e o desarranjo social global são prato cheio para o encontro. No Brasil e em diversos outros países do mundo, a democracia parecia um caminho seguro e pacificado, apesar de todas as crises. Processos eleitorais recentes no entanto, viram recrudescer ambientes nos quais a polarização política se tornou regra e muito do que havia sido construído parece correr o risco de ceder. Palavras como censura, fascismo, racismo, machismo, homofobia ganharam mais força em um cotidiano tenso.
É sob esse contexto que o seminário internacional Democracia em Colapso? propõe um amplo debate sobre as origens e as várias perspectivas históricas, políticas e sociais nas quais está mergulhado o conceito de democracia. E, ainda, como essa democracia se relaciona com o mundo real no que se refere a classe social, gênero, raça, religião e sexualidade dos cidadãos.Mudanças no mundo do trabalho, o papel da educação e as relações familiares, a cultura e os processos de comunicação serão alguns dos temas abordados. Para refletir sobre a realidade brasileira, acontecimentos recentes também serão debatidos, como a judicialização da política, a politização do Judiciário, o papel do jornalismo na defesa da democracia, a relação entre economia, Estado e mercado.

Raça e gêneroA participação das principais autoras do feminismo negro no mundo, como Angela Davis e Patricia Hill Collins dão às questões de gênero e raça abordagem especial. Somam-se, ainda, à filósofa e ativista feminista Silvia Federici.Angela Davis acaba de lançar Uma Autobiografia. Patricia Collins apresenta no Brasil Pensamento Feminista Negro: Conhecimento, Consciência e a Política do Empoderamento. Silvia Federici traz Mulheres e Caça às Bruxas. Todas obras editadas pela Boitempo.
O curso e os debatesOs professores Marilena Chaui, Antonio Carlos Mazzeo, Virgínia Fontes e Luis Felipe Miguel serão os responsáveis pelo curso A Democracia Pode Ser Assim: História, Formas e Possibilidades. Serão quatro aulas entre 15 e 18 de outubro, nas quais os mestres abordarão a história, as manifestações e as relações entre o conceito de democracia com o de revolução e outras formas de organização política.Nos mesmos dias, à tarde e à noite, serão realizados 12 debates em torno da questão: Democracia para que(m)? As mesas contarão com debatedores, conferencistas e mediadores das mais diversas experiências, pessoas de gêneros, etnias e classes sociais distintas, da universidade, das periferias, do Sul ao Norte do país, para tentar tratar dos diversos significados da democracia diante de tantas e diferentes realidades.Vladimir Safatle, Ricardo Antunes e Laura Carvalho debatem trabalho. Amanda Palha, Pastor Henrique Vieira e Flávia Biroli tratam de família, religião e política. Alysson Mascaro, Luiz Eduardo Soares e Thula Pires falam do mundo jurídico.O escritor Ferréz, o psicanalista e professor Christian Dunker, e a socióloga Esther Solano enveredam pelo universo da hegemonia cultural. Leda Paulani, Ludmila Costhek Abílio e Eduardo Moreira abordam a economia. Michael Löwy, Sabrina Fernandes e Ruy Braga falam do anticapitalismo no século 21.Jones Manoel, Aniely Silva e Daniel Cara discorrem sobre a educação contra a barbárie. Maria Rita Kehl, Renan Quinalha e Janaína de Almeida Teles falam da ditadura. Juca Kfouri, Marina Amaral e Patricia Campos Mello, do papel do jornalismo na defesa da democracia.A Rede Brasil Atual é um dos veículos de comunicação que compartilham a promoção do seminário, ao lado de Folha de S.Paulo, Marie Claire Brasil, Revista Quatro Cinco Um.

Participação do públicoA participação do público deve contribuir para ampliar ainda mais esse universo. As inscrições para o curso e para o ciclo de debates poderão ser feitas pelo site do Sesc São Paulo (www.sescsp.org.br), a partir de 25 de setembro; ou presencialmente na Central de Atendimento das unidades, a partir das 14h do mesmo dia.Será possível a aquisição de ingressos avulsos por dia para o ciclo de debates a partir de 9 de outubro, na bilheteria da unidade Sesc Pinheiros, de acordo com a disponibilidade de lugares.Os valores para o curso vão de R$ 18 (credencial plena do Sesc), R$ 30 (meia para estudantes, servidor de escola pública, mais de 60 anos, aposentados e pessoas com deficiência) a R$ 60 (inteira).Para o ciclo de debates os valores serão de R$ 27, R$ 45 e R$ 90,  respectivamente. Serão vendidos, ainda, ingressos avulsos nos dias dos debates, na bilheteria do Sesc Pinheiros, caso ainda existam lugares disponíveis: a R$ 12; R$ 20 e R$ 40.A programação e a apresentação dos participantes está em democraciaemcolapso.com.br.O evento será realizado no Auditório Paulo Autran do Sesc Pinheiros (Rua Paes Leme, 195).
Fonte: Sul 21

Tags relacionadas: